ESTA SEMANA

Teatro

Teatro        Música

Teatro
IVONE,
PRINCESA DE BORGONHA

21 Março a 8 Abril

Quarta a sábado . 21h30
Domingo . 17h00
12€ . 6 €(<25, >65 e profissionais do espectáculo)
5€ (portadores de Cartão de Amigo e quarta-feira, dia do espectador)
Bilhetes à venda na Bilheteira Online

A comédia, assim definida pelo autor, que Luísa Costa Gomes traduziu, é uma paródia shakespeariana com uma estrutura dramática clássica. A encenação é de António Pires, que conta com a versátil e excelente actriz Maria João Luís que regressa ao palco do Teatro do Bairro. No elenco, a par dos actores residentes da Companhia do Teatro do Bairro, estão também outros actores convidados, como Marcello Urgeghe , João Barbosa e Nuno Casanovas que, ao longo dos anos, têm integrado pontualmente os espectáculos do encenador , sendo seus cúmplices na linguagem cénica e forma de estar em palco.

“…Feita à maneira de uma tragédia clássica, Ivone tem os seus cinco actos e acaba… enfim, logo verão como acaba. Basta dizer que “bestialidade, selvajaria, idiotice e falta de sentido não param de crescer ao longo de toda a peça”. Como todos os grandes textos, IVONE é também ele, implacavelmente obtuso. Parece encarrilar numa rota de racionalidade delirante em que tudo é necessidade. Quando nos parece que vislumbrámos o sentido da “explicação”, caímos no buraco de outras tantas leituras possíveis. … Que espécie de coisa é esta paródia de tragédia, que parece mais leve do que realmente é, bem mais profunda e complexa do que aparenta ser, talvez num movimento palaciano de dissimulação dos horrores sobre os quais assenta todo o poder…”

Luísa Costa Gomes

A acção decorre num tempo indefinido e num reino imaginário. Conta a história de Ivone, uma jovem plebeia insignificante, taciturna e feia, calada e apática, que o filho do rei pretende para sua noiva, mas cuja passividade desperta os mais recônditos impulsos assassinos da corte. O príncipe herdeiro do trono, sofre de fartura. Mimado pelos pais, com uma educação esmerada e com um futuro brilhante, tudo pode ter. Acreditando ser o destino, encalha em Ivone, a aventesma queda e muda, surpreendendo-se a si próprio. Contra o protocolo real, envolve-se com Ivone, decidindo casar com ela, perante a perplexidade dos pais e a troça dos amigos. Ridicularizada pelos cortesãos, e apesar das repetidas tentativas, ninguém consegue fazê-la falar e a tensão vai subindo. Ivone continua muda e o seu silêncio é encarado como uma provocação. Até que se descobrem segredos macabros supostamente bem guardados.

De Witold Gombrowicz; Encenação: António Pires; Tradução: Luísa Costa Gomes; Com: Maria João Luís, Marcello Urgeghe, João Barbosa, Mário Sousa, Alexandra Sargento, Hugo Mestre Amaro, Cláudia Alfaiate, Nuno Casanovas, Francisco Vistas, Carolina Campanela, Cenografia: João Mendes Ribeiro; Figurinos: Luís Mesquita; Adereços: Carla Freire; Caracterização: Ivan Coletti; Luz: Rui Seabra; Assistente de iluminação: Cláudio Marto; Música: Paulo Abelho; Assistente de som: Guilherme Alves; Ilustração : Joana Villaverde; Produção executiva: Ivan Coletti; Comunicação: Maria João Moura; Administração de produção: Ana Bordalo; Produtor: Alexandre Oliveira; Produção: Ar de Filmes / Teatro do Bairro; Co-Produção: Teatro Nacional São João; Agradecimentos: Carlos Avilez. M/12

 

Stand-up
O Estúpido Ao Vivo

9 Abril

Segunda . 21h30
10€

“O Estúpido ao Vivo” é o primeiro solo de stand-up comedy de Daniel Carapeto. Neste espectáculo, o comediante divaga sobre temas como os seus avós, fumar, religião, a carreira do inspector Max ou mesmo as suas primeiras aparições televisivas… Com as suas habituais one-liners, Daniel Carapeto acredita que o humor não tem limites e jura nunca mais escrever textos a falar de si na 3ª pessoa.
M/16 . 80min

 

Stand-up
“Só Agradece”
Thiago Ventura

10 Abril

Terça . 21h30
20€

Em estreia nacional, Thiago Ventura promete arrancar boas risadas com as suas histórias e dialetos da periferia da grande São Paulo, em Só Agradece. Nascido em São Paulo no Brasil, Thiago Ventura é guionista e comediante. Estudou Teatro e Improvisação no Teatro Escola Macunaíma e faz stand up desde 2010. É um dos apresentadores do programa A culpa é do Cabral e participante do 4 amigos - Fila de piadas e a sua pose de quebrada surgida na internet tornou-se viral. Não perca! Única apresentação!
M/6 . 60min

 

Teatro
No Alvo

24 e 25 Abril

Terça e quarta . 21h30
12€ . 6 €(<25, >65 e profissionais do espectáculo)
5€ (portadores de Cartão de Amigo e quarta-feira, dia do espectador)
Bilhetes à venda na Bilheteira Online

O que está em causa é o próprio Teatro. Há hoje uma “geração de náufragos” nesta Europa, que luta para voltar à tona, sem memória colectiva e com profundo sentido de revanche. São reais, encantatórios e acreditam que esta pode voltar a ser a “sua Europa”, a da barbárie. Personagens asfixiadas pelo medo a investirem contra a Cidade. O desamor ou ódio, como estratégia que resta para a sobrevivência.

Autor:Thomas Bernhard; Tradução: Anabela Mendes; Encenação: Rui Madeira; Assistente de encenação: António Jorge; Cenografia: Alberto Péssimo, Jorge Gonçalves; Figurinos: Manuela Bronze; Desenho de som: Pedro Pinto; Desenho de luz: Nilton Teixeira; Design gráfico: Paulo Nogueira; Fotografia: Paulo Nogueira; Elenco: Eduarda Filipa, André Laires, Sílvia Brito e Solange Sá. M/12 . 115min (com intervalo)

 

Teatro
As Criadas

26 e 27 Abril

Quinta e sexta . 21h30
12€ . 6 €(<25, >65 e profissionais do espectáculo)
5€ (portadores de Cartão de Amigo e quarta-feira, dia do espectador)
Bilhetes à venda na Bilheteira Online

Como numa matrioska o texto dentro do texto dentro do texto como numa história que se repete sem fim como duas irmãs devotas e humildes como numa vida que se vive como o prazer de um serial killer como duas criadas que vestem gestos da patroa como duas irmãs que treinam o ódio para atingir o indizível como o tempo do silêncio como quando nada se escuta como a palavra: AMOR!

Autor: Jean Genet; Encenação: Rui Madeira; Tradução: Rui Madeira, Eduardo Tolentino de Araújo; Cenografia: Acácio de Carvalho; Figurinos: Manuela Bronze; Assistente de encenação: Eduarda Filipa; Desenho de luz: Nilton Teixeira; Elenco: Mafalda Canhola, Sílvia Brito e Solange Sá.
M/14 . 80min

 

Teatro
Justiça

28 e 29 Abril

Sábado . 21h30
Domingo . 17h00
12€ . 6 €(<25, >65 e profissionais do espectáculo)
5€ (portadores de Cartão de Amigo e quarta-feira, dia do espectador)
Bilhetes à venda na Bilheteira Online

A Companhia volta aos autores clássicos portugueses. Agora com o drama JUSTIÇA de Camilo Castello Branco. É a continuação da “saga na Pensão Portugal”, que iniciamos com Falar Verdade a Mentir de A. Garrett, depois com Sabina Freira de M. Teixeira-Gomes, (numa co-produção com A Escola da Noite) e cujos personagens se encontram, agora, anos depois “envolvidos” neste drama de faca & alguidar.

Autor: Camilo Castello-Branco; Encenação: Rui Madeira; Espaço cénico: João Dionísio; Figurinos: Manuela Bronze; Desenho de som: Pedro Pinto; Desenho de luz: Nilton Teixeira; Fotografia: Paulo Nogueira; Design gráfico: Carlos Sampaio; Elenco: André Laires, António Jorge, Carlos Feio, Eduarda Filipa, Jaime Monsanto, Rogério Boane, Solange Sá.
M/12 . 90 min

 

Música

Teatro        Música

Concerto SPA
Com o apoio da Sociedade Portuguesa de Autores
Maria João Fura em Quinteto
Lançamento do àlbum “FURA”

14 Abril

7,5€
15€ Pack Bilhete + CD (Bilhete = 5€; CD = 10€)
Bilhetes à venda na Bilheteira Online

A cantora e compositora Maria João Fura apresenta o seu disco de estreia FURA. Com sonoridade multifacetada, as 12 canções abordam o quotidiano actual com ironia, numa viagem entre a Bossa-Nova, o Pop-Eletroacústico, o Cool Jazz e a World Music. A sua autenticidade tem merecido o reconhecimento do público em Portugal e no Brasil, bem como do meio musical. Duas das canções incluídas neste novo disco foram seleccionadas para os prémios Zeca Afonso e Ary dos Santos.

Voz, Guitarra e Composição: Maria João Fura; Trombone: Rui Gonçalves; Teclas: Giovanni Barbieri; Contrabaixo: Miguel Menezes; Bateria: André Mota; Convidados: Diogo Duque (Trompete , Feliscorne), Elena sem Agá (Flauta) e Diogo Picão (Saxofone). M/6 . 70min.

Concerto SPA
Com o apoio da Sociedade Portuguesa de Autores
Birds Are Indie

20 Abril

Sexta . 22h00
5€
Bilhetes à venda na Bilheteira Online

Com “Local Affairs” os BIRDS ARE INDIE chegam ao seu 4º álbum, juntando-se agora à Lux Records, histórica editora de Coimbra. Gravado no estúdio Blue House, com co-produção de Jorri (a Jigsaw, The Parkinsons) este disco junta às suas canções pop de melodias contagiantes, uma faceta musculada, onde a pulsão do baixo e o impulso da bateria lhes confere uma nova e vibrante dimensão.
M/6 . 60min

O Teatro do Bairro

O Teatro Bairro        Cartão de Amigo

Situado em pleno Bairro Alto, na Rua Luz Soriano, nº 63, o Teatro do Bairro ocupa o espaço onde durante décadas funcionou a rotativa do Diário Popular, mesmo ao lado da Escola de Música do Conservatório Nacional. Inaugurado em 2011, foi um marco no percurso artístico da Ar de Filmes - produtora de teatro e cinema que o adquiriu - criando assim um diálogo direto e permanente com o seu público, abrindo ainda caminho para a fidelização de novos espectadores. Sob a direção do produtor Alexandre Oliveira e do encenador António Pires, funciona, por um lado, como a casa das criações artísticas da Ar de Filmes e da sua companhia de teatro e, por outro, como espaço de acolhimento de pequenas estruturas que, não tendo lugar nos grandes teatros municipais da cidade, não teriam onde apresentar os seus espetáculos. A par das propostas de acolhimento, estabeleceram-se ainda protocolos de intercâmbio com estruturas de outras zonas do país, que prevêem o acolhimento anual de, pelo menos, uma produção dessas companhias no Teatro do Bairro e vice-versa. São exemplos destes intercâmbios a Ao Cabo Teatro (do Porto, com direção artística de Nuno Cardoso) e o Teatro da Terra (de Ponte de Sor, com direção artística de Maria João Luís).

O interesse da abertura do Teatro do Bairro para a cidade não se esgota, no entanto, no projeto artístico da Ar de Filmes. Localizado num local histórico de fruição artística por excelência, proporciona também o convívio entre diferentes artes performativas contemporâneas, com uma programação plural e abrangente que garante a circulação de diferentes artistas e públicos. Desenvolvemos as nossas próprias produções, mas acolhemos também espetáculos de outros criadores de teatro, e ainda de música, cinema e dança. Acreditamos que a programação interdisciplinar que praticamos, incrementada na nossa própria criação, promove trocas e contaminações desejadas, que enriquecem todos os intervenientes. Criámos em Lisboa uma nova sala de teatro, uma nova sala de cinema, uma nova sala de concertos, um novo espaço de tertúlia e um novo local de encontro dos cidadãos com as diferentes artes e os seus criadores.

Seja bem-vindo ao Teatro do Bairro!

Visite também o site da Ar de Filmes

Cartão de Amigo

O Teatro Bairro    Cartão de Amigo     Ficha de Adesão

O Cartão de Amigo do Teatro do Bairro atribui um desconto de 50% em todos os eventos e espetáculos, sendo que o preço mínimo a pagar por bilhete é sempre de 5€ (cinco euros). O desconto é feito mediante a apresentação do cartão na bilheteira e não é acumulável com outros descontos em vigor. O Cartão de Amigo do Teatro do Bairro tem um custo de 10€ e é válido durante 12 meses. A adesão faz-se na bilheteira do Teatro do Bairro.

Regulamento

1 - O Cartão de Amigo do Teatro do Bairro é emitido pela Ar de Filmes e visa atribuir um desconto de 50% na aquisição de bilhetes para os eventos e espetáculos no Teatro do Bairro, sendo que o preço mínimo a pagar por bilhete é sempre de 5€ (cinco euros).

2 - O desconto obtido através do Cartão de Amigo do Teatro do Bairro não é acumulável com outros descontos em vigor.

3 - O desconto atribuído pelo Cartão de Amigo do Teatro do Bairro não tem qualquer valor monetário, sendo expressamente proibida a sua venda ou troca por dinheiro.

4 - Sempre que pretenda usufruir do desconto do Cartão de Amigo do Teatro do Bairro, o seu titular deverá fazer essa menção no ato da compra do bilhete, apresentando também o cartão.

5 - O Cartão de Amigo do Teatro do Bairro é válido apenas quando apresentado na bilheteira do Teatro do Bairro, na Rua Luz Soriano, nº 63 ou na Rua dos Caetanos, nº 26, no caso de eventos com venda de bilhetes nesta entrada.

6 – O Cartão de Amigo do Teatro do Bairro pode não ser válido, excecionalmente, para eventos devidamente identificados no programa.

7 - A adesão ao Cartão de Amigo do Teatro do Bairro é feita exclusivamente na bilheteira do Teatro do Bairro, na Rua Luz Soriano, nº 63, mediante o preenchimento de uma ficha de adesão e o pagamento de uma anuidade no valor de 10€ (dez euros), já com IVA incluído à taxa legal em vigor.

8 – A adesão ao Cartão de Amigo do Teatro do Bairro não pode ser feita na entrada da Rua dos Caetanos, nº 26.

9 - No ato de adesão ao Cartão de Amigo do Teatro do Bairro é emitido um documento provisório igualmente válido, que poderá ser utilizado de imediato para usufruir do desconto.

10 – Logo que o Cartão de Amigo do Teatro do Bairro estiver disponível, o seu titular será informado por email, podendo levantá-lo posteriormente no Teatro do Bairro, dentro do horário de funcionamento da bilheteira.

11 – Os dados pessoais dos titulares do Cartão de Amigo do Teatro do Bairro serão utilizados única e exclusivamente para divulgação da programação do Teatro, caso assim o desejem, garantindo a Ar de Filmes a sua total confidencialidade.

12 – Os titulares do Cartão de Amigo do Teatro do Bairro receberão, via e-mail, convite para a estreia de todos os espetáculos de teatro produzidos pela Ar de Filmes com apresentação no Teatro do Bairro, sendo esse convite sujeito a confirmação telefónica, mediante a lotação da sala.

13 - O Cartão de Amigo do Teatro do Bairro tem a validade de um ano, podendo ser renovado na bilheteira do Teatro do Bairro.

14 – A renovação do Cartão de Amigo do Teatro do Bairro por mais 12 meses implica o pagamento de nova anuidade no valor de 10€ (dez euros), já com IVA incluído à taxa legal em vigor.

15 - O Cartão de Amigo do Teatro do Bairro é pessoal e intransmissível, pelo que poderá ser exigido ao titular a apresentação de um documento identificativo.

16 - Para ser considerado válido, o Cartão de Amigo do Teatro do Bairro deverá ser mantido em bom estado de conservação, não podendo estar ilegível nem danificado.

17 - A Ar de Filmes reserva-se o direito de anular a um titular o Cartão de Amigo do Teatro do Bairro, caso seja detetada fraude ou utilização indevida.

18 - A Ar de Filmes não se responsabiliza por eventuais extravios do Cartão de Amigo do Teatro do Bairro.

19 - A adesão ao Cartão de Amigo do Teatro do Bairro pressupõe o conhecimento e a aceitação na íntegra deste regulamento.

A Companhia

Teatro do Bairro

 

A Companhia    Para Digressão   Histórico da Companhia

 

Com a abertura do Teatro do Bairro em 2011, criou-se também uma nova companhia de teatro, que nasce já com oito espetáculos no curriculum e uma experiência de sete anos de produções: a Companhia Teatro do Bairro. O grupo de autores, atores, técnicos e colaboradores que, ao longo dos anos, foram trabalhando com a Ar de Filmes - nomeadamente nos seus projetos teatrais - encontrou finalmente uma casa onde pode sedimentar e desenvolver o seu trabalho de forma regular e continuada. A gestão própria dos timings de ensaios e das temporadas das suas criações, sem os habituais constrangimentos inerentes aos calendários sempre muito preenchidos das tradicionais salas de espetáculos, possibilitou assim a consolidação desta companhia teatral, através de uma reflexão ininterrupta que contagia as criações e afirma o caminho artístico previamente traçado. Na direção artística da Companhia Teatro do Bairro está António Pires, que tem desenvolvido um trabalho que se poderia designar como "Teatro Coreográfico" - onde o texto e as imagens se fundem como se de uma coreografia se tratasse. Ao longo do seu percurso artístico, tem apresentado trabalhos a convite de várias entidades, mas é na Companhia Teatro do Bairro que desenvolve o seu trabalho autoral como encenador.

Atualmente, a Companhia do Teatro do Bairro conta com 14 colaboradores fixos, dos quais fazem parte quatro atores que integram regularmente os seus elencos, aos quais se juntam habitualmente atores convidados.

Veja aqui o histórico da Companhia

Veja aqui as encenações de António Pires

A Companhia

do Teatro do Bairro

 

A Companhia   Para Digressão

 

MANA, SOLTA A GATA

a partir do universo de Adília Lopes

Duas mulheres gordas. Muito gordas. Tão gordas que andam devagar. Quase não andam. Mas andam e dizem as coisas que a Adília Lopes escreveu, bem devagar. O espectáculo é uma coreografia oriental lenta. Mas só tem 1h30 e, por isso, passa-se rápido. Têm muito que fazer. Há um homem. É mau. Usa botas, cartola e bigode antigo em W. O homem guarda o espaço onde as mulheres fazem o que têm de fazer. Às vezes parece um domador de mulheres gordas. Nada disto é grotesco. Nem o movimento, nem a actuação. É hiper-realista. E tem música a pontuar toda a coreografia. Por isso, “Mana, Solta a Gata” é um Musical Hiper-realista.

Adaptação, dramaturgia, concepção cénica e encenação: António Pires | Com: Hugo Mestre Amaro, João Araújo, Rafael Fonseca | Figurinos: Luís Mesquita | Desenho de Luz: Vasco Letria | Apoio Coreográfico: Paula Careto | Costureira: Rosário Balbi | Adereços: Carla Freire | Ilustração: Joana Vilaverde | Assistente de Encenação: Tomás Nolasco | Administração Financeira: Ana Bordalo | Assessoria de Imprensa: Isabel Marques | Coordenação de Produção: Andreia Luís | Produtor: Alexandre Oliveira | M/14
estreia no Teatro do Bairro
digressão ao Teatro Municipal Joaquim Benite (Almada).

 

 

Pedido de Informações

Contactos

 

Teatro do Bairro

Rua Luz Soriano, 63 (Bairro Alto),1200-246 Lisboa, Portugal

RESERVAS* APENAS POR TELEFONE
21 347 33 58 ou 91 321 12 63 (15h - 19h)

 

VENDAS e LEVANTAMENTO DE RESERVAS*
Na bilheteira, uma hora antes do espetáculo


* Fazemos reservas apenas para espectáculos de teatro e dança.
* As reservas devem ser levantadas até 15 minutos antes da hora do espectáculo

 

Para propostas de acolhimento, envie e-mail para
teatrodobairro.geral@gmail.com

 

ACESSOS
Metro: Baixa-Chiado (linhas verde e azul)
Autocarros: 758 e 790 . Elétrico: 28 . Elevador: Bica
Estacionamento: Parques do Largo de Camões e Calçada do Combro

 

Ar de Filmes, lda

Rua da Cova da Moura nº2, 4º Dto, 1350-117 Lisboa , Portugal
213 420 810 | 918 570 774
ardefilmesgeral@gmail.com
www.ardefilmes.org