Teatro

Teatro        Música

 

Teatro - Filho do Meio
HAMLET

8 Janeiro a 2 Fevereiro

Quarta a Sábado . 21h30
Domingo . 17h00
10€
15€ (Apoie o FILHO DO MEIO)
5€ Quarta - Dia do espectador

Bilhetes à venda na Bilheteira Online

O filho do meio regressa ao Teatro do Bairro com a primeira tragédia do ciclo Três Comédias, Três Tragédias, dedicado a William Shakespeare. Depois de Noite de Reis, Sonho de Uma Noite de Verão e Muito Barulho Por Nada chega agora a vez de Hamlet. Autêntico prisioneiro numa corte de suspeita e mentira, o príncipe Hamlet lamenta a morte do pai, para ele o mais justo dos chefes. A sua mãe acabou de casar com o tio paterno, mas Hamlet não quer festejar. Descrente de tudo e quase todos, Hamlet crê na denúncia de um fantasma com toda a aparência do pai assassinado. A vingança será toda a sua paixão, e nem o amor nem a amizade poderão travá-lo.

Texto de William Shakespeare; Tradução: Fernando Villas-Boas; Encenação de Luís Moreira; Assistência de encenação: Ana Baptista, Leonor Buescu; Interpretação: Alice Medeiros, André Pardal, António Pedro Ramalhinho, Filipe Abreu, Frederico Coutinho, José Matos de Oliveira, José Redondo, Nuno Pinheiro, Luís Lobão, Rita Loureiro, Valter Teixeira, e a voz de José Neto; Cenografia e Figurinos: Maria Gonzaga; Desenho de Luz: Rui Seabra; Movimento: Joana Chandelier; Fotografias: Vitorino Coragem; Produção: Filho do Meio.
"Com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian e da Fundação GDA"

M/14 . 120 minutos (aproximadamente)

 

Teatro
Se isto é um homem

7 e 8 Fevereiro

Sexta. 21h30
Sábado . 16h00
12€
6€ (-25 +65, estudantes, profissionais do espectáculo e cartão amigo do TdB)
Bilhetes à venda na Bilheteira Online

Testemunho perturbante sobre o Holocausto, Se isto é um homem é uma obra-prima que ensaia uma análise fundamental sobre o mecanismo do campo de concentração, sobre a humilhação do homem pelo homem, visando o extermínio. Primo Levi (1919-1987) escreveu este pedaço literário e documental à saída do inferno concentracionário de Auschwitz – uma narrativa de grande contenção, organizada em pequenos capítulos que são como estilhaços da memória. Após ter sido recusado para publicação, conhecendo em 1947 uma edição de autor de circulação restrita e recebida com indiferença, o texto teria de esperar por 1958 para ser editado com a dignidade que merece, e, desde então, tem sido traduzido e publicado em todo o Mundo.
É a primeira vez que Se isto é um homem é adaptado para teatro em Portugal, depois de o actor inglês Antony Sher ou de o encenador sueco Lars Norén o terem feito nos seus países. Numa altura em que o discurso de extrema-direita volta a ganhar espaço na Europa, importa levar à cena este texto de um sobrevivente do genocídio dos judeus no século XX, cumprindo um dos seus desígnios: que não se apagasse jamais a memória de um dos períodos mais negros da História da Humanidade.

Texto de Primo Levi; Encenação de Rogério de Carvalho; Intérprete: Cláudio da Silva; Cenografia: Manuel Graça Dias e Egas José Vieira; Tradução: Simonetta Neto; Luz: Guilherme Frazão; Som: Miguel Laureano; Assistente de encenação: Marco Trindade; Pintura de cena: Diogo Costa; Produção: Paulo Mendes; Direcção de montagem: Guilherme Frazão; Montagem: Andreia Mendrico, Ivan Teixeira, Paulo Horta e Rodrigo Marques (estagiário).

M/12 . 90min (aproximadamente)

 

Teatro
Curtas de Papel, Osso e Fel

12 a 16 Fevereiro

Quarta a Sábado . 21h30
Domingo . 17h00
10€
5€ (-25 +65, estudantes, profissionais do espectáculo, quarta-feira (dia do espetador), e cartão amigo do TdB)
Bilhetes à venda na Bilheteira Online

“Curtas de Papel, Osso e Fel” inspira-se no universo de vários autores, como Edward Gorey, Mário-Henrique Leiria ou Max Aub, para construir uma narrativa com múltiplas leituras de acontecimentos insólitos.
Uma criação sobre situações surreais ou bizarras que podem mudar completamente o rumo de uma vida. Histórias e estórias minúsculas perdidas em canções, livros, óperas ou inspiradas no quotidiano. Passado e futuro misturam-se. Uma reflexão lírica, pontuada com humor negro.
“É bom não podermos ouvir os gritos que fazemos nos sonhos dos outros.”
Edward Gorey

Encenação, construção e atores-manipuladores: Luís Vieira, Rute Ribeiro; Adaptação e textos: Rute Ribeiro; Sonoplastia: Miguel Lucas Mendes; Dispositivos luminosos: Zé Rui; Operação de luz e som: Rui Castro; Produção executiva e assistência de manipulação: Daniela Matos; Residências artísticas: São Luiz Teatro Municipal, Théâtre Le Passage, Théâtre La Licorne; Apoios e parcerias: Câmara Municipal de Lisboa, EGEAC; A Tarumba é uma estrutura financiada por: República Portuguesa - Ministério da Cultura | DGArtes

M/14 . 45min (aproximadamente)

 

Teatro
Mulheres à Beira do Precipício

20 a 22 Fevereiro

Quinta a Sábado . 21h30
10€
Bilhetes à venda na Bilheteira Online

Mulheres à beira do precipício, conta a história de três mulheres que se encontram por acaso, na sala de espera de um Hospital para fazerem o exame da mamografia, onde o enfermeiro Adroaldo interage com elas, tonando o ambiente muito divertido e mais leve.
Cada uma delas têm a sua personalidade. Helena é romântica; Luísa é independente e poderosa; Maria é casada e cuida do Lar, mas tem questões polêmicas sobre o seu casamento. No decorrer do espetáculo, as três vão se abrindo sobre as suas dores, as angústias e conflitos da alma. Cada personagem se desnuda e se desconstrói durante o espetáculo. Todas acabam por revelar as suas fraquezas e as suas fortalezas.

Autora: Luciene Balbino; Encenadora: Florbela Oliveira; Actores: Teresa Coelho, Carlota Vidigueira, Daniela Marques, Artur Malheiro, Andreia Santos, Sofia Carô e Filipe Lopes.

M/16 . 70min (aproximadamente)

 

Teatro
Relação Abusiva

26 a 28 Fevereiro

Quinta a Sábado . 21h30 10€
Bilhetes à venda na Bilheteira Online

A autora Luciene Balbino ao longo de alguns anos observou, conversou e apoiou mulheres em relacionamentos tóxicos. Em pleno século XXI é notório e lamentável que pessoas sejam vítimas de pessoas que as destroem emocionalmente. O espetáculo monólogo Relação Abusiva tem como foco contar a história de Maria das Dores, uma mulher que sofreu desde a infância este tipo de relação com a mãe, com colegas da escola e em relacionamentos quando adulta. Muitas vezes os abusadores estão dentro de nosso lar, são pessoas próximas, as quais depositamos total confiança. Geralmente pessoas que passaram por abuso sexual, exploração e comportamento distorcido invasivo, violência física e agressão buscarão relações nocivas durante a vida, pois aprenderam o prazer pela dor. É muito importante desfazermos o mito de que relação abusiva está relacionada a prática de atos de violência, agressões físicas ou estupros. A violência psicológica ou moral é tão grave quanto a física. Homens e mulheres são vítimas de relacionamentos abusivos, podem ser oprimidos pelos parceiros. A autora deixa claro que estamos falando de seres humanos e não de gênero. Para Luciene Balbino é urgente colocarmos no palco este tema tão devastador que destrói pessoas que perderam a vontade de existir. O objetivo do espetáculo é fazer o público pensar no papel que a sociedade tem em lutar contra as relações abusivas.

Autora: Luciene Balbino; Encenadora: Daniela Marques; Atriz: Florbela Oliveira.

M/16 . 60min (aproximadamente)

Música

Teatro        Música

 

Música
The Black Mamba
Good Times Tour

29 Fevereiro

Sábado . 22h00
20€

Bilhetes à venda na Bilheteira Online

Quase a completar 10 anos de carreira, The Black Mamba apresentam a Good Times Tour: uma série de concertos exclusivos, apenas em teatros e entre Novembro deste ano e Fevereiro de 2020, em que a banda irá reviver os seus primeiros tempos.
Nesta tour, que começa logo após o regresso dos The Black Mamba aos coliseus de Lisboa e Porto em Outubro, a banda irá, tal como no início, apresentar-se em trio e focar-se nos temas que compunham o alinhamento dos seus primeiros concertos, com originais e versões que interpretavam habitualmente na altura da sua formação.
Um autêntico (e imperdível) regresso às origens!

Voz e guitarra: Pedro Tatanka; Baixo: Rui Pedro Pity; Bateria: Miguel Casais.

M/6 . 90min (aproximadamente)

O Teatro do Bairro

O Teatro Bairro        Cartão de Amigo

Situado em pleno Bairro Alto, na Rua Luz Soriano, nº 63, o Teatro do Bairro ocupa o espaço onde durante décadas funcionou a rotativa do Diário Popular, mesmo ao lado da Escola de Música do Conservatório Nacional. Inaugurado em 2011, foi um marco no percurso artístico da Ar de Filmes - produtora de teatro e cinema que o adquiriu - criando assim um diálogo direto e permanente com o seu público, abrindo ainda caminho para a fidelização de novos espectadores. Sob a direção do produtor Alexandre Oliveira e do encenador António Pires, funciona, por um lado, como a casa das criações artísticas da Ar de Filmes e da sua companhia de teatro e, por outro, como espaço de acolhimento de pequenas estruturas que, não tendo lugar nos grandes teatros municipais da cidade, não teriam onde apresentar os seus espetáculos. A par das propostas de acolhimento, estabeleceram-se ainda protocolos de intercâmbio com estruturas de outras zonas do país, que prevêem o acolhimento anual de, pelo menos, uma produção dessas companhias no Teatro do Bairro e vice-versa. São exemplos destes intercâmbios a Ao Cabo Teatro (do Porto, com direção artística de Nuno Cardoso) e o Teatro da Terra (de Ponte de Sor, com direção artística de Maria João Luís).

O interesse da abertura do Teatro do Bairro para a cidade não se esgota, no entanto, no projeto artístico da Ar de Filmes. Localizado num local histórico de fruição artística por excelência, proporciona também o convívio entre diferentes artes performativas contemporâneas, com uma programação plural e abrangente que garante a circulação de diferentes artistas e públicos. Desenvolvemos as nossas próprias produções, mas acolhemos também espetáculos de outros criadores de teatro, e ainda de música, cinema e dança. Acreditamos que a programação interdisciplinar que praticamos, incrementada na nossa própria criação, promove trocas e contaminações desejadas, que enriquecem todos os intervenientes. Criámos em Lisboa uma nova sala de teatro, uma nova sala de cinema, uma nova sala de concertos, um novo espaço de tertúlia e um novo local de encontro dos cidadãos com as diferentes artes e os seus criadores.

Seja bem-vindo ao Teatro do Bairro!

Visite também o site da Ar de Filmes

Cartão de Amigo

O Teatro Bairro    Cartão de Amigo     Ficha de Adesão

O Cartão de Amigo do Teatro do Bairro atribui um desconto de 50% em todos os eventos e espetáculos, sendo que o preço mínimo a pagar por bilhete é sempre de 5€ (cinco euros). O desconto é feito mediante a apresentação do cartão na bilheteira e não é acumulável com outros descontos em vigor. O Cartão de Amigo do Teatro do Bairro tem um custo de 10€ e é válido durante 12 meses. A adesão faz-se na bilheteira do Teatro do Bairro.

Regulamento

1 - O Cartão de Amigo do Teatro do Bairro é emitido pela Ar de Filmes e visa atribuir um desconto de 50% na aquisição de bilhetes para os eventos e espetáculos no Teatro do Bairro, sendo que o preço mínimo a pagar por bilhete é sempre de 5€ (cinco euros).

2 - O desconto obtido através do Cartão de Amigo do Teatro do Bairro não é acumulável com outros descontos em vigor.

3 - O desconto atribuído pelo Cartão de Amigo do Teatro do Bairro não tem qualquer valor monetário, sendo expressamente proibida a sua venda ou troca por dinheiro.

4 - Sempre que pretenda usufruir do desconto do Cartão de Amigo do Teatro do Bairro, o seu titular deverá fazer essa menção no ato da compra do bilhete, apresentando também o cartão.

5 - O Cartão de Amigo do Teatro do Bairro é válido apenas quando apresentado na bilheteira do Teatro do Bairro, na Rua Luz Soriano, nº 63 ou na Rua dos Caetanos, nº 26, no caso de eventos com venda de bilhetes nesta entrada.

6 – O Cartão de Amigo do Teatro do Bairro pode não ser válido, excecionalmente, para eventos devidamente identificados no programa.

7 - A adesão ao Cartão de Amigo do Teatro do Bairro é feita exclusivamente na bilheteira do Teatro do Bairro, na Rua Luz Soriano, nº 63, mediante o preenchimento de uma ficha de adesão e o pagamento de uma anuidade no valor de 10€ (dez euros), já com IVA incluído à taxa legal em vigor.

8 – A adesão ao Cartão de Amigo do Teatro do Bairro não pode ser feita na entrada da Rua dos Caetanos, nº 26.

9 - No ato de adesão ao Cartão de Amigo do Teatro do Bairro é emitido um documento provisório igualmente válido, que poderá ser utilizado de imediato para usufruir do desconto.

10 – Logo que o Cartão de Amigo do Teatro do Bairro estiver disponível, o seu titular será informado por email, podendo levantá-lo posteriormente no Teatro do Bairro, dentro do horário de funcionamento da bilheteira.

11 – Os dados pessoais dos titulares do Cartão de Amigo do Teatro do Bairro serão utilizados única e exclusivamente para divulgação da programação do Teatro, caso assim o desejem, garantindo a Ar de Filmes a sua total confidencialidade.

12 – Os titulares do Cartão de Amigo do Teatro do Bairro receberão, via e-mail, convite para a estreia de todos os espetáculos de teatro produzidos pela Ar de Filmes com apresentação no Teatro do Bairro, sendo esse convite sujeito a confirmação telefónica, mediante a lotação da sala.

13 - O Cartão de Amigo do Teatro do Bairro tem a validade de um ano, podendo ser renovado na bilheteira do Teatro do Bairro.

14 – A renovação do Cartão de Amigo do Teatro do Bairro por mais 12 meses implica o pagamento de nova anuidade no valor de 10€ (dez euros), já com IVA incluído à taxa legal em vigor.

15 - O Cartão de Amigo do Teatro do Bairro é pessoal e intransmissível, pelo que poderá ser exigido ao titular a apresentação de um documento identificativo.

16 - Para ser considerado válido, o Cartão de Amigo do Teatro do Bairro deverá ser mantido em bom estado de conservação, não podendo estar ilegível nem danificado.

17 - A Ar de Filmes reserva-se o direito de anular a um titular o Cartão de Amigo do Teatro do Bairro, caso seja detetada fraude ou utilização indevida.

18 - A Ar de Filmes não se responsabiliza por eventuais extravios do Cartão de Amigo do Teatro do Bairro.

19 - A adesão ao Cartão de Amigo do Teatro do Bairro pressupõe o conhecimento e a aceitação na íntegra deste regulamento.

A Companhia

Teatro do Bairro

 

A Companhia    Histórico da Companhia

 

Com a abertura do Teatro do Bairro em 2011, criou-se também uma nova companhia de teatro, que nasce já com oito espetáculos no curriculum e uma experiência de sete anos de produções: a Companhia Teatro do Bairro. O grupo de autores, atores, técnicos e colaboradores que, ao longo dos anos, foram trabalhando com a Ar de Filmes - nomeadamente nos seus projetos teatrais - encontrou finalmente uma casa onde pode sedimentar e desenvolver o seu trabalho de forma regular e continuada. A gestão própria dos timings de ensaios e das temporadas das suas criações, sem os habituais constrangimentos inerentes aos calendários sempre muito preenchidos das tradicionais salas de espetáculos, possibilitou assim a consolidação desta companhia teatral, através de uma reflexão ininterrupta que contagia as criações e afirma o caminho artístico previamente traçado. Na direção artística da Companhia Teatro do Bairro está António Pires, que tem desenvolvido um trabalho que se poderia designar como "Teatro Coreográfico" - onde o texto e as imagens se fundem como se de uma coreografia se tratasse. Ao longo do seu percurso artístico, tem apresentado trabalhos a convite de várias entidades, mas é na Companhia Teatro do Bairro que desenvolve o seu trabalho autoral como encenador.

Atualmente, a Companhia do Teatro do Bairro conta com 14 colaboradores fixos, dos quais fazem parte quatro atores que integram regularmente os seus elencos, aos quais se juntam habitualmente atores convidados.

Veja aqui o histórico da Companhia

Veja aqui as encenações de António Pires

Contactos

 

Teatro do Bairro

Rua Luz Soriano, 63 (Bairro Alto),1200-246 Lisboa, Portugal

VENDA DE BILHETES ONLINE NA BILHETEIRA ONLINE

RESERVAS* APENAS POR TELEFONE
21 347 33 58 ou 91 321 12 63 (14h00 - 18h00 - dias úteis)

VENDAS e LEVANTAMENTO DE RESERVAS*
Na bilheteira, duas horas antes do espetáculo
*As reservas devem ser levantadas até 15 minutos antes da hora do espectáculo

Para propostas de acolhimento, envie e-mail para
teatrodobairro.geral@gmail.com

ACESSOS
Metro: Baixa-Chiado (linhas verde e azul)
Autocarros: 758 e 790 . Elétrico: 28 . Elevador: Bica
Estacionamento: Parques do Largo de Camões e Calçada do Combro

Ar de Filmes, lda

Rua Nova de São Mamede, 35, 4ºesq 1250-172 Lisboa, Portugal
213 420 810 | 918 570 774
ardefilmesgeral@gmail.com
www.ardefilmes.org